VEREADOR GILMAR LIRA

DE MAOS DADAS COM O POVO DE AVEIRO

VEREADOR JUNIOR TAPAJOS

O FUTURO DE SANTARÉM ESTÁ EM NOSSAS MÃOS

jacaré tem jeito

ao lado do povo

GOSTOU DESSE ESPAÇO?

.Anuncie Aqui....

Este é o padrão apresentado slide título 5

Vá para o Blogger Editar HTML e encontrar este texto e substituir pela sua descrição do post em destaque

Páginas

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Celpa foi a empresa campeã de queixas em 2013

Foto: Wagner Santana
O LiberalA Centrais Elétricas do Pará (Celpa) foi a empresa mais contestada pelos consumidores paraenses em 2013. Segundo o Cadastro Nacional de Reclamações Fundamentadas (CNRF), do Ministério da Justiça, o grupo recebeu 775 reclamações ao longo do ano.
Os clientes reclamaram mais sobre os problemas com cobranças indevidas ou abusivas (691 chamados), mas também relataram terem sido alvo de outras transgressões da companhia, como a recusa injustificada em prestar serviço, o não pagamento de indenização, o atendimento ruim, os danos materiais provocados por produtos ou pelo serviço da Celpa e o descumprimento de leis em diversas ocasiões.
Os números e informações foram disponibilizados no Portal Brasileiro de Dados Abertos, do governo federal, e divulgados ontem no Diário Oficial da União. Conforme o publicado, o CNRF registrou 7.221 protestos feitos à Diretoria de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) do Estado do Pará, em 2013. 
O relatório revela que quase 2 mil reivindicações feitas no Estado estavam relacionadas a cobranças indevidas. Mais de 300 empresas aparecem na tabela com reclamações registradas por cidadãos que moram no Pará.
O CNRF tem publicações de anos anteriores, mas, até o fechamento desta edição, a visualização estava indisponível. O Cadastro é formado pelas Reclamações fundamentadas finalizadas no período de 12 meses pelos Procons integrados ao Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor  (Sindec). O documento consolida as reclamações contidas nos Cadastros Estaduais e Municipais publicados anualmente no dia 15 de março - Dia Mundial do Consumidor.

Beneficiários do Bolsa Família têm até dia 16 para atualizar cadastro

 Beneficiários do Bolsa Família que receberam aviso no extrato de pagamento devem atualizar os dados no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal até o dia 16 de janeiro. A atualização deve ser feita com documentos pessoais e dos demais integrantes da família.

Quem recebeu o aviso e não atualizar as informações poderá ter o beneficio bloqueado a partir de fevereiro. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à fome, até novembro, dos 1,2 milhão de beneficiários que devem recadastrar os dados, 709,7 mil haviam procurado os gestores do programa para a atualização.

A revisão é feita todos os anos com foco nos beneficiários que não atualizam os dados no Cadastro Único há mais de dois anos. Quem não recebeu o aviso no extrato de pagamento está com as informações em dia.
Todos os beneficiários do programa devem atualizar o cadastro voluntariamente a cada dois anos ou a cada vez que nascer um filho, houver mudança de escola, alteração no endereço residencial ou qualquer informação relevante.
Além do Bolsa Família, a falta de atualização do cadastro implica perda de outros benefícios, como a tarifa social de energia elétrica.
Fonte: Agência Brasil

Patrocinador do UFC vai apoiar Jon Jones durante tratamento

 (Foto: Evelyn Rodrigues) Depois que Jon Jones foi flagrado em um exame antidoping supresa por uso de cocaína e anunciou sua internação em uma clínica de reabilitação, nesta terça-feira (6), a Reebok, principal patrocinador do UFC, emitiu um comunicado informando que vai apoiar o lutador durante o tratamento e que nada mudou no contrato exclusivo assinado com o campeão peso-meio-pesado do Ultimate.

"Nós elogiamos as medidas tomadas por Jon para resolver esse problema e vamos apoiá-lo no que for possível. O status de relacionamento de Jon com a Reebok não mudou", declarou a empresa, segundo o site americano "MMA Junkie".

O acordo entre a Reebok e Jones foi anunciado pelo próprio atleta no mês passado, logo após a companhia ter oficializado o patrocínio aos uniformes dos lutadores do UFC. Além de "Bones", a empresa também patrocina os campeões Ronda Rousey, Anthony Pettis e o ex-campeão Johny Hendricks.

terça-feira, 13 de maio de 2014

Prefeito Fuzica diz que esta sendo perseguido pelo Presidente da Câmara de Aveiro Preto do Satiro!!!



PREFEITO DE AVEIRO DIZ QUE VEM SENDO VITIMA DE PERSEGUIÇÃO POLÍTICA E DENUNCIA IRREGULARIDADES DO PRESIDENTE DA CÂMARA PRETO DO SATIRO.
 
Tem um ditado popular que diz que o exemplo deve começar em casa.  Mas essa lição não foi assimilada pela Câmara de Vereadores de Aveiro.  O presidente Preto do Satiro tem vários cheques voadores na praça, não honrou o empréstimo consignado dos seus próprios pares e mesmo assim a ordem se inverteu quando o presidente vem orquestrando todo tipo de manobras para tentar cassar o prefeito Olinaldo Barbosa”Fuzica”. 
Lembrando que cheques em nome de entidade pública como é o caso de Câmara de vereadores se configura como um grave delito, e que no Brasil já causou a cassação de presidentes de Câmaras por improbidade administrativa,o que não é o caso de Aveiro que vem tendo uma blindagem em torno desses fatos que patinam em terreno movediço sem que também seja fiscalizado por isso.
Além desses existem outros casos escabrosos que depõe contra a moralidade do uso da verba pública e desmoralizar a tal lei de responsabilidade Fiscal, quando há o caso em que o presidente utilizou o nome de uma pessoa aqui de Itaituba que é bem conceituada, para efetuar empréstimo de dez mil reais junto a agiotas e não teria pago nem os juros, sequer as parcelas combinadas, causando constrangimentos ao empresário que de boa fé emprestou seu nome para servir de fiador e agora se vê em maus lençóis. 
Como uma imagem vale por mil palavras conforme um provérbio chinês, ilustramos essas denuncias para comprovar a veracidade dos fatos, quando uma Câmara ao invés de ser solidária, de se engajar junto ao Poder executivo para obter melhorias para Aveiro preferem agir no campo dos interesses pessoais num município pobre,  que não tem renda própria,  sobrevivendo só de FPM e ainda por cima por desmando e falta de respeito com a coisa publica deixado pelo gestor passado o mesmo tem seu FPM bloqueado. 
Cópia de cheques se fundos repassados no comércio em Itaituba.
Fuzica vem fazendo ginástica para honrar a folha de pagamentos fornecedores. Mas como o prefeito não cedeu ao capricho do presidente da Câmara e um grupo de vereadores que o acompanha vem sendo alvo de perseguições sistemáticas prejudicando diretamente a população de Aveiro já que o município não consegue se desenvolver pelo signo do trabalho que deveria ser compartilhado entre o Executivo e Legislativo. O prefeito assegura que mesmo com tantas dificuldades herdadas do prefeito passado Ranilson do Prado, conseguiu colocar em funcionamento a máquina administrativa e vem honrando pagamento dos funcionários, já que essas dificuldades estão sendo maiores por conta do bloqueio do FPM, pelo fato do ex prefeito não ter honrado a negociação feita com o INSS ao apagar das luzes quando repassou o governo ao atual prefeito Fuzica.

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Ministério da Integração Nacional Publica Estado de Emergência em 13 Municipios e Aveiro-Pa esta entre os Municipios.


Através de um trabalho com responsabilidade da Proteção e Defesa Civil de Aveiro-Pa juntamente com o Prefeito Olinaldo Barbosa no dia 06/05/2013 o Secretario Nacional de Proteção e Defesa Civil Decretou Estado de Emergência no Município de Aveiro e com isso o Município irá receber ajuda do Governo Federal para os Trabalhos de recuperação das Áreas atingidas pelas Enchentes do rio Tapajós, fato que acontece pela primeira vez no Município.
 
 
PORTARIA No- 129, DE 5 DE MAIO DE 2014
 
Reconhece situação de emergência em municípios.
O SECRETÁRIO NACIONAL DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL, no uso da competência que lhe foi delegada pela Portaria Ministerial nº 1.763-A, de 07 de novembro de 2008, publicada no Diário Oficial da União, Seção 2, de 23 de dezembro de 2008, resolve: Art. 1º Reconhecer a situação de emergência nas áreas descritas no Formulário de Informações do Desastre - FIDE, conforme informações constantes na tabela.
 
 
 
 
 
Para mas Informações sobre a Publicação acesse: http://www.jusbrasil.com.br/diarios/69833901/dou-secao-1-06-05-2014-pg-16
 
 

segunda-feira, 14 de abril de 2014

Fantástico acompanha buscas para encontrar desaparecidos de bimotor

Fantástico acompanha buscas para encontrar desaparecidos de bimotor

O Fantástico acompanhou o passo a passo de uma busca incansável por cinco vidas em uma das regiões mais isoladas da Floresta Amazônica.

O Fantástico acompanhou o passo a passo de uma busca incansável em uma das regiões mais isoladas da Floresta Amazônica. Uma busca por cinco vidas.
Equipes da Força Aérea Brasileira (FAB) já vasculharam milhares de quilômetros de selva, por terra e pelo ar, mas o mistério continua: o que teria acontecido com o avião bimotor que sumiu no Pará há quase um mês?
“Cada dia que passa, mais sofrimento que fica”, diz Ramiro Aguiar, pai de Luciney Aguiar.
“Achar que eles possam estar bem ou então que estejam precisando muito da gente, se estão machucados, a gente não sabe o que aconteceu”, diz Marilia Esquerdo, mulher do comandante Feltrim.
“Fica até difícil falar sobre isso sem encher os olhos de lágrimas”, emociona-se Andressa Aguiar, sobrinha de Luciney.
Terça-feira, 18 de março. O bimotor Beechcraft, modelo Baron, era pilotado pelo comandante Luís Feltrin, de 53 anos e com mais de 30 de experiência em voos na Amazônia.
Além do piloto, estavam no avião quatro funcionários da Secretaria Especial de Saúde Indígena: o motorista Ari Lima e as técnicas de enfermagem Raimunda Lúcia da Silva Costa, Rayline Sabrina Brito Campos e Luciney Aguiar de Sousa.
A viagem, de cerca de 300 quilômetros, entre Itaituba e Jacareacanga, no sudoeste do Pará, tinha duração prevista de 55 minutos. A 12 minutos do pouso, o piloto chamou o operador da pista da Infraero em Jacareacanga para saber como estava o tempo na região.
“Foi informado ao comandante que estava chovendo na vizinhança e que a visibilidade se restringindo. Não havia condições de pouso em condições visuais”, afirma Jetson Gomes, operador da Infraero em Jacareacanga.
Faltando seis minutos para a aterrissagem, o comandante Feltrin tenta falar com o piloto Dário Correia, que havia decolado pouco depois dele.
“Ele só me disse que estava monomotor, que o motor esquerdo havia parado. Eu ainda pedi para ele me confirmar a mensagem, porque eu estava com o rádio muito baixo. Ele confirmou que o motor esquerdo havia parado”, conta o piloto Dário Correia.
Quase ao mesmo tempo, uma das passageiras, a técnica de enfermagem Rayline, envia uma mensagem de celular para o tio, alertando sobre a pane: "Tio, tô em um temporal e o motor parou. Avisa à mãe que amo muito todos. Tô aflita, tô em pânico... Se eu sair bem, aviso. Tô perto de JKRE (uma abreviação de Jacareacanga). Reza por nós, não avisa a tia ainda''.
Um minuto depois, a segunda mensagem: "O motor tá parando. Socorro, tio''.
“Passei uma mensagem para ela de volta. Aí, não teve retorno, nada. Liguei e não consegui mais nada”, lembra Rubélio Santos, tio da Rayline.
Às 12h50, Luís Feltrin entra em contato com Dário pela última vez, dizendo que o segundo motor também tinha parado.
“Infelizmente, após ele dizer que o motor direito estava parando também, eu perdi contato com ele”, conta Dário Correa.
O bimotor sumiu dos radares às 12h53. Sempre que chegava de viagem, o comandante Feltrin ligava para a mulher, que estranhou a demora dessa vez.
“O telefone chamou até cair na caixa-postal. Depois de cinco minutos, eu liguei de novo e estava fora de área”, conta Marilia Esquerdo.
O Fantástico passou três dias no meio da Floresta Amazônica para acompanhar, com exclusividade, as buscas. Do alto, se percebe que a região é uma das mais isoladas da Amazônia.
No caminho entre as duas cidades existem vários parques e reservas florestais, ou seja, são áreas preservadas, de mata nativa. Além disso, é uma região de serra, montanhosa, por isso é muito difícil encontrar alguma área descampada, onde seja possível fazer um pouso de emergência se houver um problema no avião.
“Estamos no inverno amazônico, chove muito, inclusive este ano está chovendo até demais nessa região. Então, fica muito difícil voar com esses aviões pequenos. Você não tem muito apoio de solo, de pista, de controle”, explica o piloto Cláudio Collere.
Ao descer em Jacareacanga, a equipe de reportagem encontrou no aeroporto vários parentes dos desaparecidos. Os quatro passageiros iam levar medicamentos para aldeias indígenas, passariam vinte dias trabalhando na floresta.
“Depois que entrei no computador é que eu vi a foto dela com mais duas pessoas, duas técnicas de enfermagem, que tinham caído o avião. Aí, na mesma hora, liguei para os meus parentes de Itaituba para saber se era verdade. Aí, me avisaram que era verdade”, afirma João Vitor de Souza, filho de Luciney.
“Gosta demais do que faz. Eu digo que gosta porque acredito que eles estão vivos e esperando a nossa ajuda e o resgate”, diz Sidney Aguiar, irmã de Luciney.
As buscas são coordenadas pela FAB. Um avião P3-Orion, que possui sensores capazes de detectar partes metálicas na mata e no fundo do mar, sobrevoou a região. Até agora, foram 192 horas de voos sobre 23 mil quilômetros quadrados.
A mata é muito densa. Do alto, percebe-se que a copa das árvores forma uma espécie de cobertura que prejudica muito a visualização.
A equipe de reportagem acompanhou também a missão de busca por terra. Quinta-feira, 10 de abril. O tempo amanheceu fechado. A equipe percorreria 30 quilômetros de Rodovia Transamazônica nessas condições até se encontrar com uma das equipes que estão vasculhando a mata para tentar localizar o avião.
De acordo com o tenente, na área alagada tem uma grande ocorrência de cobras, insetos e outros animais. “Porco-do-mato, que é muito perigoso. Sempre que a gente anda nessa região, procura andar armado, para proteger a nossa equipe”, afirma o tenente Tiago Vilhena, do Corpo de Bombeiros.
A chuva forte prejudica muito o trabalho de buscas. “Prejudica porque, se na floresta existir algum rastro, com a chuva já vai deixar de existir. Vai ficar complicado agora. Se a pessoa tiver algum conhecimento da floresta, ela consegue, porque a selva oferece alimento e oferece água. Mas se a pessoa não conhecer a selva, fica complicado. É muito quente, muito úmido, você transpira bastante e desidrata muito rápido”, ressalta o tenente.
A equipe de resgate já percorreu 50 quilômetros de selva durante mais de 200 horas, mas o número de militares – são cerca de 25 - é considerado pequeno pelas famílias das vítimas.
“Tempo é vida. Se eles estiverem vivos na mata, quanto mais tempo demorar, um dia a mais é um dia a menos”, diz Jéssica Feltrin, filha do comandante Feltrim.
Jéssica juntou R$ 19 mil em doações para oferecer uma recompensa a quem encontrar o avião.
“Muitos deixam seus trabalhos, entram na mata para procurar a aeronave. Outros que não podem fazer isso doam. Muita gente doando suprimento e equipamentos, como bota, facão”, conta Jéssica.
“A gente tem esperança que um dia eles vão ser encontrados. Que seja logo”, diz a mulher do piloto Feltrin.
“É nisso que a gente se apega, para não ter que desistir”, diz Sidney, irmã de Lucy.

VEJA O VÍDEO AQUI:
http://g1.globo.com/fantastico/noticia/2014/04/fantastico-acompanha-buscas-para-encontrar-desaparecidos-de-bimotor.html

Marco civil da internet volta a ser debatido na terça-feira

Será realizada na terça-feira (15) a segunda audiência pública conjunta sobre o Projeto de Lei da Câmara (PLC)  21/2014, que estabelece princípios, garantias, direitos e deveres para o uso da internet no Brasil, o chamado marco civil da internet.


Os debates são promovidos pelas três comissões do Senado que examinam o texto antes do Plenário – Ciência e Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT), Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) e Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Aprovado pela Câmara no fim de março, após três anos de intensos debates, o texto define direitos e deveres de usuários e provedores de serviços de conexão e aplicativos na internet. Como tramita em regime de urgência, passará a trancar a pauta se não for votado no Plenário até o dia 12 de maio. A proposta já recebeu 41 emendas, tendo uma delas sido retirada.
Para a audiência de terça, foram convidados, entre outros, Eduardo Moreira, diretor do Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Celular e Pessoal; José Francisco Lima, conselheiro da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert); Marcel Leonardi, diretor do Google do Brasil; e Renato Cruz, colunista do jornal O Estado de São Paulo.
Pressa
Na primeira audiência conjunta sobre o tema, realizada quinta-feira (10), representantes do governo e da sociedade civil defenderam o texto que veio da Câmara. Os convidados pedem a aprovação rápida da proposta, para que possa ser convertida em lei até a realização do NETmundial – Encontro Multissetorial Global sobre o Futuro da Governança da Internet, que acontece em São Paulo nos dias 23 e 24 de abril.
Já os relatores nas comissões querem discutir e aprimorar o texto. O projeto será relatado pelo senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) na CCJ, Zezé Perrella (PDT-MG) na CCT e Luiz Henrique (PMDB/SC) na CMA. Apesar de elogiarem o trabalho do relator da matéria da Câmara, deputado Alessandro Molon (PT-RJ), eles afirmaram que cabem adequações.
Presente ao debate, o senador Walter Pinheiro (PT-BA) disse ser “lícito e correto” que o Senado faça ajustes no texto, mas argumentou que o objetivo do marco civil é estabelecer diretrizes sobre o uso da internet e não esgotar o tema. Pinheiro defende celeridade na aprovação do texto.
– Modificações posteriores podem ser apresentadas na forma de projetos de lei, já que o objetivo do marco civil é desenhar diretrizes e não esgotar todos os assuntos relativos à internet – ressaltou, ao defender a importância de o projeto ser votado até reunião da NetMundial.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), informou que consultará os líderes partidários para marcar a data de votação da proposta e designou o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES) como relator em Plenário.
Na quinta-feira, representantes de 30 entidades que acompanham a tramitação da proposta, acompanhados do senador Lindbergh Farias (PT-RJ) e do deputado Alessandro Molon, foram recebidos por Renan Calheiros e pediram rapidez na votação do projeto.
Isonomia
No primeiro debate no Senado, os especialistas apontaram como um dos pilares do PLC 21/2014 o artigo 9º, que assegura tratamento isonômico na oferta de quaisquer pacotes de dados, sem distinção por conteúdo. Sem essa garantia, dizem, poderá ocorrer na internet situação verificada na TV por assinatura, onde há diferentes categorias de usuários, conforme o valor do serviço contratado.
Além da neutralidade de rede, os especialistas apontaram como principais pontos do projeto as garantias de privacidade dos usuários e a liberdade de expressão na internet.
A audiência pública conjunta de terça-feira, que tem caráter interativo, será realizada às 14h na sala 3 da Ala Senador Alexandre Costa. Os interessados poderão participar enviando perguntas e sugestões pelo portal E-Cidadania e pelo Alô Senado.

 Fonte: Agência  Senado